Quando se trata de um filhote em necessidade, não há raças ou estereótipos que possam impedir o nascimento das amizades mais improváveis. Que cães e gatos nunca se deram bem é um estereótipo bastante comum, que felizmente não reflete 100% a realidade. De fato, pode haver uma coexistência pacífica entre cão e gato se alguém souber como abordar o problema. Mas quando um filhote recém-nascido está envolvido, tudo fica mais fácil: quando a dona de Paxton, um labrador de 12 anos, trouxe Polly, uma gatinha recém-nascida órfã, para dentro de casa, o cachorro imediatamente se apaixonou por aquela criatura tão pequena e indefesa.

Morgan McKenzie ouvira miados fracos enquanto passeava por sua propriedade em Delaware: uma gatinha com apenas um dia ou dois, com os olhos ainda fechados e as orelhas dobradas, estava dentro de um pequeno buraco cavado no chão. Mckenzie não pegou o animal, pensando que a mãe viria mais cedo ou mais tarde, mas ela estava errada; à noite, a mulher foi checar o mesmo local e o gatinho ainda estava lá, evidentemente em dificuldade. Então, vendo que a situação não estava indo bem, a mulher imediatamente a levou para casa, onde pode ajudá-la.

O gatinho era tão pequeno que Mckenzie a chamou de Polly, assim como Polly Pocket, e lhe deu um bom banho primeiro, já que estava coberta de pulgas. Uma vez limpa, Mckenzie permitiu que seu velho cachorro Paxton conhecesse a pequena Polly: foi imediatamente amor à primeira vista. O doce cão se apaixonou por Polly desde o primeiro momento – após cada ração de leite, Paxton fazia questão de lamber e limpar a gatinha minúscula, que tinha uma visão muito limitada nas primeiras 5 semanas de vida. Apesar disso, ela podia sentir os pesados passos de Paxton e seguia sempre em direção a eles até encontrar algum obstáculo.

A gatinha literalmente se criou com Paxton e, por isso, Mckenzie às vezes se pergunta se Polly sabe que é uma gata. Para ela, recém-nascida, tudo deve ter sido extremamente normal. Agora Polly tem 5 meses e se transformou em uma irmãzinha perfeita para Paxton. Os dois continuam a se amar e a brincar juntos… provavelmente não poderiam ser mais felizes do que já são!